Dez dicas para melhorar os espaços públicos das cidades

(Texto publicado em 18 de fevereiro de 2013 no Medium)

Em 2013 o ArchDaily Brasil traduziu e publicou “10 Ways to Improve Your City through Public Space” elaborado pelo Project For Public Spaces (PPS). Os pontos são bem interessantes e instigadores para pensarmos a realidade dos espaços públicos no Brasil. Eu resumi o material para compartilhar aqui, então se você gostar visite os links no final e confira as fontes original em inglês e português e o material em pdf publicado pelo PPS.

Dez dicas para melhorar os espaços públicos das cidades

Fonte: ArchDaily Brasil

Cada dia os cidadãos de diferentes partes do mundo manifestam suas preocupações pelo futuro de suas cidades. Os espaços públicos, como ruas, parques e praças tornaram-se essenciais para que uma cidade seja bem sucedida, já que neles são geradas diversas possibilidades de desenvolvimento econômico e social e, cada vez são mais valorizados pelos cidadãos.Entretanto, a construção e manutenção dos espaços públicos por parte dos governos locais ainda não é um tema que se aborda de forma correta em muitas cidades, nas quais não existem numerosos espaços públicos bem projetados e com participação cidadã durante o processo de desenho.

Tomando estas deficiências como desafios, a organização Project for Public Spaces (PPS) lançou há algumas semanas o “Placemaking and the Future of Cities”, o rascunho de uma próxima publicação. Através de dez conselhos muito úteis, busca melhorar certos aspectos econômicos, sociais e ambientais das cidades mediante uma reabilitação dos espaços públicos já existentes. Neste sentido, a publicação servirá como um guia para os governos locais que decidam buscar o êxito urbano através de um enriquecimento dos espaços públicos.

A seguir podemos conhecer as 10 dicas de PPS para melhorar os espaços públicos das cidades:

1. Converter as ruas em calçadões.

2. Criar parques e praças públicas como destinos com múltiplas funções.

3. Construir economias locais através de mercados urbanos.

4. Projetar edifícios que sirvam como redes de conexões entre distintos bairros.

5. Vincular a agenda de saúde pública com os programas de espaços públicos.

6. Reinventar as organizações comunitárias.

7. O poder dos “10”.

8. Criar um programa integral para espaços públicos.

9. “Mais leve, mais barato, mais rápido”. Começar pequeno e experimentar.

10. Reestruturar o governo para ajudar os espaços públicos.

Se você quiser obter o rascunho completo de Placemaking and the Future of Cities”, acesse este link (http://www.pps.org/wp-content/uploads/2012/09/PPS-Placemaking-and-the-Future-of-Cities.pdf).

Original em português:

http://www.archdaily.com.br/79108/dez-dicas-para-melhorar-os-espacos-publicos-das-cidades/

Original em Inglês:

http://urbantimes.co/2012/09/10-ways-to-improve-your-city-through-public-space/

Prefeitura de Belo Horizonte quer vender rua para empreiteira

Outro dia eu repassei a chamada para o I Seminário do Comitê Popular dos Atingidos pela Copa BH, via Comitê Popular dos Atingidos pela Copa 2014 – BH. Os impactos de mega eventos como Copa do Mundo e olimpíadas são tidos por muitos como essenciais e inevitáveis. Existe um discurso congelado que afirma que o desenvolvimento trazido por eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas é isento de impactos negativos e o maior dos benefícios para o país.

O caso da Rua Musas, no bairro Santa Lúcia, mostra que grandes eventos não são sinônimos de progresso e que o interesse privado é o maior beneficiado. Veja a reportagem do Jornal da Alterosa: Continue lendo “Prefeitura de Belo Horizonte quer vender rua para empreiteira”

Praças do PAC e o modelo de desenvolvimento dos espaços públicos no Brasil

Programa atende prefeituras e DF e prevê 800 praças para os próximos quatro anos

Recebi outro dia a notícia de que o governo federal abriu a seleção de projetos para praças de esporte e cultura. O programa, chamado inicialmente de “Praças do PAC”, vai integrar, no mesmo espaço físico, ações das áreas de cultura, esportes, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e inclusão digital. O projeto visa atender 361 prefeituras e o Distrito Federal, que terão 120 dias para apresentar projetos para a Caixa Econômica Federal, órgão responsável pela liberação dos recursos. Continue lendo “Praças do PAC e o modelo de desenvolvimento dos espaços públicos no Brasil”

Chamada para artigos: Revista Espacialidades (UFRN)

A revista eletrônica Espacialidades publicada pelos discentes do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte está recebendo artigos para a divulgação de seu próximo dossiê: Mundo Urbano.

Para maiores informações sobre a revista Espacialidades e suas normas editoriais verifique o site http://www.cchla.ufrn.br/ppgh/espacialidades

O prazo-limite para envio dos textos é 30 de junho de 2011. A Revista continuará a receber artigos e resenhas, em fluxo contínuo, para os próximos números.

Os textos devem ser enviados para o e-mail:espacialidades@gmail.com.

Algumas referências para o estudo de cidades

A apresentação “Cem livros com cidade no título” motivou a compartilhar algumas referências dos meus estudos. Tentarei manter o post atualizado, acrescentando livros e pequenas descrições. Vocês também podem contribuir postando outros títulos nos comentários. É só indicar as referencias e acrescentar uma pequena descrição.

Continue lendo “Algumas referências para o estudo de cidades”